O tratamento das doenças alérgicas consiste na utilização de diferentes abordagens.

O primeiro passo é, sempre que possível, evitar os alérgenos desencadeadores da doença. Esse controle ambiental pode levar a uma diminuição dos sintomas e, consequentemente, a uma menor necessidade do uso de medicamentos.

Hidratação cutânea, suplementação da dieta com ácidos-graxos ômega-3 e o controle de infecções secundárias são normalmente indicados nos casos de dermatite alérgica.

O uso de medicamentos auxilia no controle dos sintomas, diminuindo a inflamação e o prurido nos casos das dermatites alérgicas. No entanto, o uso contínuo dessas drogas pode ocasionar o aparecimento de efeitos colaterais importantes, como diminuição da imunidade, infecções recorrentes, distúrbios hormonais, dentre outros.

A imunoterapia alérgeno-específica é o único tratamento capaz de modificar o curso natural das doenças alérgicas. O objetivo deste tratamento é modificar o sistema imunológico do paciente para que o mesmo possa tolerar o que antes lhe causava alergia. Imunoterapia alérgeno-específica é utilizada há décadas em Medicina Veterinária e os trabalhos publicados indicam eficácia em 50% a 100% dos casos.