O diagnóstico das doenças alérgicas é antes de tudo clínico. O histórico deve ser compatível com doença alérgica e outras doenças com sintomas semelhantes devem ser descartadas.

A partir daí, os componentes ambientais desencadeadores da doença alérgica devem ser investigados. A identificação desses componentes permite ao clínico sugerir intervenções no ambiente do paciente, além de permitir a seleção de alérgenos candidatos para imunoterapia alérgeno-específica.

Os testes alérgicos mais utilizados em Medicina Veterinária são os testes cutâneos intradérmicos e os testes sorológicos (sangue) do tipo ELISA Indireto. Os testes cutâneos, se apropriadamente desenvolvidos e controlados, são muito eficazes.

Alguns testes sorológicos são bastante confiáveis, porém a interpretação desses testes deve ser cautelosa. Resultados positivos de testes alérgicos indicam apenas sensibilização. A interpretação desses testes deve ser realizada por profissional capacitado, que poderá definir apropriadamente os próximos passos do tratamento.